«Fomos brindados com um golo que justificámos plenamente» – Carlos Cunha

«Fomos brindados com um golo que justificámos plenamente» – Carlos Cunha

Carlos Cunha chegou, assinou e… viu a sua nova equipa em jogo. Numa fase de calendário apertado, o novo timoneiro do FC Vizela teve a oportunidade de sentar-se pela primeira vez no banco e ficou agradado com a prestação dos seus jogadores.

«A equipa teve um bom desempenho. O FC Vizela, que vem de uma derrota significativa em Penafiel, conseguiu sair de forma jogável na primeira fase de construção. Jogou em todos os espaços do jogo», começou por abordar o técnico.

«Criámos situações, não muito claras na primeira parte, mas chegámos à baliza contrária. O adversário jogou numa toada de transição e surpreendeu-nos com um golo. É evidente que o golo numa equipa forte, estável e muito organizada defensivamente redobrou-nos a exigência», continuou.

«Continuámos a trabalhar e a tentar que o jogo sorrisse para o nosso lado. Fomos eficientes e equilibrados defensivamente. Em termos ofensivos, arriscámos e fomos brindados com um golo que justificámos plenamente. Com todo o respeito pelo nosso adversário, que é uma grande equipa, aceito o empate mas, a haver um vencedor, teria de ser o FC Vizela», considerou Carlos Cunha.

Embora o contacto com o grupo tenha sido ainda extremamente curto, Carlos Cunha viu a sua equipa partir para o intervalo em desvantagem mas também viu a sua aposta declarada no ataque render frutos.

«Começámos por jogar com alas, preferencialmente o nosso sistema tático. A equipa interpretou bem. Tivemos a infelicidade do Diogo Lamelas sair muito cedo do jogo. Isso condicionou-nos mas não serviu de desculpa. Quando forçámos com dois jogadores na frente, a ideia era sermos mais incisivos no ataque. Tínhamos de preencher espaços de finalização com mais gente. Fiquei feliz porque a jogar numa situação de maior risco conseguimos o empate», destacou.

Depois deste jogo a meio da semana, as atenções voltam-se agora para o próximo embate do campeonato, frente ao FC Porto ‘B’. Carlos Cunha promete uma equipa preparada e, acima de tudo, competitiva.

«A exigência é muito grande. Os profissionais do FC Vizela, como a maior parte dos outros clubes, vão fazer 3 jogos numa semana. Neste microciclo apertado vamos gerir cargas no sentido de os jogadores puderem estar na melhor forma possível para o próximo jogo. Acredito que estaremos preparados. Queremos estar competitivos com a pretensão de conquistar os 3 pontos. Vamos ser leais ao emblema que envergamos e queremos trazer pontos do Porto», garantiu o técnico.

O novo treinador dos azuis e brancos já tirou o raio-X ao grupo e considerou que a sua valia transcende o que a classificação indica.

«O grande objetivo do grupo é encarar cada jogo como uma grande oportunidade para somar pontos. Temos a convicção de que valemos mais do que a tabela classificativa expressa. No entanto, temos de o demonstrar trabalhando. Prometemos trabalho e empenho», prometeu Carlos Cunha.

«Aproveito a oportunidade para pedir forte apoio à massa associativa. Nós não vamos conseguir sozinhos. Carregamos o símbolo ao peito mas também carregamos a ambição de todo um concelho. Neste jogo tivemos uma excelente moldura humana. Gostei muito de ouvir crianças na bancada a puxar pelo FC Vizela», finalizou.