João Paredes simplificou apuramento

João Paredes simplificou apuramento

Na receção ao Mondinense, certamente que o FC Vizela contava em resolver a questão durante o tempo regulamentar, embora soubesse que, do outro lado, estaria um conjunto disposto a lutar por uma surpresa na Taça de Portugal.

No entanto, apesar da boa vontade do Mondinense, a superioridade dos vizelenses foi notória e o domínio exercido foi claro, faltando apenas melhor eficácia no último terço.

Logo aos 2’, Joni tirou um adversário do caminho para assistir Mércio, mas o esférico cabeceado pelo médio brasileiro saiu a centímetros do poste.

À passagem do primeiro quarto de hora, o Mondinense assustou, valendo Rafa que, protagonista de uma defesa por instinto, negou o golo a João Padi, após primeira tentativa de Rooney.

À medida que a etapa inicial foi desenrolando, o FC Vizela foi criando mais perigo, nomeadamente a partir da meia hora de jogo.

Aos 34’, Zé Valente tentou fazer um golo de antologia, mas Murta foi a tempo de tocar o esférico por cima da trave, e, aos 36’, numa bola metida nas costas da defensiva contrária, Carlos Fortes não conseguiu bater o desamparado Murta.

Em cima do intervalo, aos 43’, Joni apareceu muito bem a romper pelo lado esquerdo e, já dentro da área, procurou marcar, porém o remate saiu prensado.

Expectativa para a segunda parte, na qual o volume de jogo ofensivo do FC Vizela cresceu muito, sobretudo após as entradas de Correia e João Paredes.

Em poucos minutos, foram várias as ocasiões. Mércio, em privilegiada posição, permitiu corte da defensiva (57’); Tuca evitou que Felipe Augusto ficasse com a baliza à sua mercê, após arrancada de João Paredes (62’); dentro da área, Felipe Augusto rematou contra um adversário, após passe de Nera (65’); e João Paredes, bem servido por Correia, atirou por cima (66’).

O Mondinense vivia momentos de apuro e apenas dispôs de uma iniciativa, por Rui Jorge, aos 68’, muito depois dos dois livres que beneficiou nos instantes iniciais do recomeço.

À entrada para o último quarto de hora, Correia rematou ao poste, na recarga a uma excelente oportunidade de João Paredes. Já em tempo de compensação, Nera, na cobrança de um livre direto (que deveria ter resultado no segundo amarelo para Tuca), obrigou Murta a brilhar.

As contas só ficariam desbloqueadas no prolongamento. Cann, que havia sido lançado ainda antes dos 90’, fez o cruzamento, Felipe Augusto tentou desfeitear Murta, mas seria João Paredes, num golpe de raiva, a disparar para o fundo das redes, aos 95’.

De resto, Cann, que entrou muito bem na partida, à semelhança dos colegas de ataque, também deu trabalho a Murta, aos 101’, antes do Mondinense tentar uma derradeira reação por Tuca (104’) e por Dani Gonçalves (105’).

Depois foi hora de “xeque-mate” com João Paredes a concluir muito bem uma excelente iniciativa de Cann pelo lado direito (112’). Já em cima do apito final, Nera lançou Felipe Augusto para uma derradeira correria e consequente selagem do resultado.

O FC Vizela garantiu assim a presença na 2.ª eliminatória da Taça de Portugal, antes dessa visita ao terreno do Merelinense, em jogo a contar para a terceira ronda do campeonato. A partida está agendada para as 17:00 horas do próximo domingo, dia 10 de Setembro.

 

FICHA DE JOGO

Local: Estádio do FC Vizela

Árbitro: Márcio Torres (AF Viana do Castelo)

Assistentes: Emanuel Rocha e Bruno Rocha

FC VIZELA: Rafa; João Pedro (C), Miguel Oliveira, João Cunha e Nera; Evrard (Correia, 59’), Mércio e Joni; Zé Valente (Francis Cann, 83’), Carlos Fortes (João Paredes, 59’) e Felipe Augusto.

Suplentes não utilizados: Pedro Albergaria, Amian, André Pinto e João Oliveira.

Treinador: Carlos Cunha

MONDINENSE: Murta; Vítor Beijinhos, Tuca, Romeu Pinto (C) e Raúl Babo; Dani Gonçalves, Diogo Alves (Bruno Pereira, 87’) e João Miguel (André Martins, 97’); João Padi (Geninho, 77’), Rooney e Rui Jorge.

Suplentes não utilizados: César, Nuno Arada, Luís Saroto e Vila Chã.

Treinador: Rui Luís

Golos: João Paredes (95’ e 112’) e Felipe Augusto (119’).

Cartões Amarelos: Tuca (25’), João Pedro (76’), Romeu Pinto (100’), Dani Gonçalves (107’), Felipe Augusto (107’), Raúl Babo (113’) e João Cunha (114’).