Eficácia final guiou FC Vizela à 4ª eliminatória

Eficácia final guiou FC Vizela à 4ª eliminatória

Acabou por ser mais complicada que o previsto a tarefa do FC Vizela nesta terceira etapa da prova rainha do futebol português, que colocou frente a frente equipas do mesmo campeonato.

O Sintrense, que vinha de uma derrota expressiva (5-1) na sua casa, apresentou-se na cidade termal com uma postura destemida, proporcionando, contudo, um jogo bem aberto.

A formação de Carlos Cunha, sem poder contar com os habituais titulares Zé Valente e João Paredes, devido a lesão, partiu de imediato para o ataque e logo ao minuto 1 com Felipe Augusto, bem servido por Carlos Fortes, a sofrer um toque dentro da área.

No entanto, apesar do árbitro António Alves ter dado a sensação que iria assinalar castigo máximo, prevaleceu a indicação do seu auxiliar, que vislumbrou posição irregular anterior ao extremo.

O adversário respondeu com perigo. Aos 5’, Rafa inviabilizou a tentativa de Rui Varela, após cruzamento de Fábio Pala, e, aos 11’, Luís Mota encheu o pé e acertou na barra.

Numa primeira parte recheada de hipóteses de golo, em dois minutos (21’ e 22’), o FC Vizela procurou marcar por três vezes. Primeiro foi Carlos Fortes de fora da área, depois foi Cann a fugir pela direita e a entregar a bola a Felipe Augusto, que não lhe conseguiu dar o melhor seguimento, e finalmente um remate de Mércio ligeiramente ao lado.

Pouco depois da meia hora de jogo, aos 32’, o Sintrense lançou-se num ataque em superioridade numérica com Fábio Pala a cruzar, Rui Varela a deixar passar e Érico Castro a surgir oportuno, adquirindo ascendente no marcador.

Perto do intervalo, na sequência de um canto, Carlos Fortes ganhou nas alturas ao segundo poste, mas não conseguiu bater Jian Wei. Logo a seguir, uma grande penalidade claríssima de Ibraime Cassamá sobre Felipe Augusto não foi assinalada pelo árbitro e, na resposta, o Sintrense viu nova bola devolvida pela trave num cabeceamento de Rui Varela.

Foi já durante o tempo de compensação da etapa inicial que o FC Vizela alcançou a igualdade no encontro, através de Mércio, após livre lateral executado por Joni.

Nos primeiros minutos do reatamento, o Sintrense voltou a ameaçar muito com Rui Varela, outra vez assistido por Fábio Pala, a falhar o cabeceamento.

O FC Vizela deu claros sinais de querer passar para a frente no marcador. Mércio testou a sua boa meia distância, aos 51’, e Correia viu o seu remate ser intercetado na “hora H” por Ibraime Cassamá, depois de uma excelente iniciativa individual de Felipe Augusto, aos 62’.

Gradualmente, a formação de Sintra foi perdendo um pouco daquele fulgor que incomodou os azuis e brancos, em especial durante a primeira parte, e o FC Vizela foi superiorizando-se.

O derradeiro quarto de hora é ilustrativo da maior força e frescura vizelense com as situações de golo a sucederem-se e a devida recompensa a surgir.

Aos 80’, na cobrança de um livre frontal, Gabi rematou forte para defesa incompleta de Jian Wei e, pouco depois, Kevin Medina derrubou dentro da área um Felipe Augusto que seguia isolado.

O “camisola 7” teve de ser assistido pela equipa médica e o penálty acabaria por ser concretizado só aos 87’, por intermédio do defesa-central João Cunha.

Impulsionados pelo grande apoio vindo das bancadas, os pupilos de Carlos Cunha galvanizaram-se e Panin apareceu na cara de Jian Wei como uma flecha, sentenciando a partida com o 3-1.

À semelhança da época anterior, o FC Vizela atingiu a 4.ª eliminatória da Taça de Portugal com todo o mérito e soma já 9 jogos oficiais sem conhecer a derrota esta temporada.

No próximo domingo, dia 22 de Outubro, às 15:00 horas, os azuis e brancos jogam pela terceira vez consecutiva em casa, desta feita com o Arões para a 7.ª jornada do campeonato.

 

FICHA DE JOGO

Local: Estádio do FC Vizela (Vizela)

Árbitro: António Alves (AF Porto)

Assistentes: Manuel Soares e Vasco Sousa

FC VIZELA: Rafa; Gabi, Miguel Oliveira (C), João Cunha e Amian (João Oliveira, 78’); Evrard, Mércio e Joni (Correia, 56’); Felipe Augusto, Carlos Fortes (Panin, 71’) e Cann.

Suplentes não utilizados: Pedro Albergaria, André Pinto, Márcio Ferrari e Dani.

Treinador: Carlos Cunha

SINTRENSE: Jian Wei; Fábio Pala, Fábio Marinheiro, Ibraime Cassamá (C) e Kevin Medina; Siaka Bamba, Filipe Pipas e Érico Castro; Magique (Rúben Ribeiro, 69’), Rui Varela e Luís Mota (Altaír Júnior, 81’).

Suplentes não utilizados: Filipe Leão, Diogo Baltazar, Hugo Meira, David Freire e João Coelho.

Treinador: Carlos Simões

Golos: Érico Castro (32’), Mércio (45+1’), João Cunha (87’, g. p.) e Panin (90’).

Cartões Amarelos: Kevin Medina (38’ e 83’), Fábio Pala (45’), Filipe Pipas (59’) e Rúben Ribeiro (79’).

Cartão Vermelho: Kevin Medina (83’).

 

RESULTADOS DA 3ª ELIMINATÓRIA

Oleiros 2-4 Sporting

Lusitano de Évora 0-6 FC Porto

Torcatense 0-1 Marítimo

Vasco Gama 1-6 Vitória de Guimarães

Cova da Piedade 1-1 Anadia (4-3, g. p.)

Académico de Viseu 0-0 Feirense (3-4, g. p.)

São Martinho 2-3 Sporting de Braga

Olhanense 0-1 Benfica

Operário 2-4 Felgueiras

FC Vizela 3-1 Sintrense

Arouca 3-0 Coruchense

Farense 1-0 Estoril-Praia

Alta de Lisboa 0-2 Famalicão

Leixões 2-2 Tondela (3-2, a. p.)

Sanjoanense 0-4 Rio Ave

Vilaverdense 1-0 Boavista

Cesarense 1-2 Caldas

Praiense 4-1 Alcains

Vila Real 0-1 Desportivo das Aves

Santa Clara 2-1 Belenenses

Amarante 1-1 Sporting Ideal (5-6, g. p.)

União da Madeira 3-2 Oriental de Lisboa

Fátima 0-3 Desportivo de Chaves

Vilafranquense 1-1 Casa Pia (2-1, a. p.)

Gafanha 0-0 Freamunde (3-4, g. p.)

AD Oliveirense 0-0 Torreense (5-4, g. p.)

União de Leiria 2-0 Sporting de Espinho

Pinhalnovense 1-1 Vitória de Setúbal (1-2, a. p.)

Nacional 4-2 Merelinense

Canelas-Gaia 1-3 Moreirense

Moura 0-0 Portimonense (6-7, g. p.)

Académica 1-1 Paços de Ferreira (2-1, a. p.)