Vizelenses triunfaram no meio do dilúvio

Vizelenses triunfaram no meio do dilúvio

Neste caso, bem se pode dizer que se jogou aquilo que S. Pedro deixou. Numa partida disputada sob condições climatéricas muito adversas, que condicionaram claramente o espetáculo, o FC Vizela foi mais forte e venceu por 2-0 na receção ao Câmara de Lobos.

Com o esférico a prender constantemente na muita água acumulada no relvado, o FC Vizela sentiu dificuldades acrescidas para conseguir impor o seu futebol, em particular na primeira parte.

Ainda assim, a abertura do marcador podia ter sido consumada logo aos 2’, quando Joni penetrou na área e procurou assistir Aziz, porém, foi Evrard, após desvio de um madeirense, quem ficou em excelente posição para fazer golo, mas o remate do centrocampista saiu por cima.

O conjunto insular deu sempre boa luta e, de certa forma, justificou as dificuldades que provocou em algumas das equipas da prova esta temporada. Aos 20’, Ricardo Fernandes tentou a meia distância, mas a bola saiu por cima.

Praticamente sobre a meia hora de jogo, o FC Vizela abriu o ativo. Após pontapé de canto, Correia desviou de cabeça para João Cunha, muito oportuno ao segundo poste, fazer o golo.

Os vizelenses ainda tentaram algo mais antes do intervalo, no entanto, o agravamento do estado do terreno não permitiu que se registasse grande perigo perto das balizas.

O segundo tempo, disputado já com o sistema de iluminação artificial ligado, começou com uma boa possibilidade para o FC Vizela.

A jogar contra o vento, este fator interferiu num lance, aos 48’, em que um jogador madeirense tentou aliviar uma bola, só que esta tomou o caminho da própria baliza. Não fossem as rajadas de vento que se fizeram sentir e talvez Marco Jesus não fosse a tempo de impedir a entrada do esférico na baliza.

Pouco depois, aos 52’, Aziz falhou à boca da baliza a interceção a um cruzamento de Correia, gorando-se aqui outra excelente hipótese para o FC Vizela chegar ao 2-0.

No minuto seguinte, o Câmara de Lobos deu trabalho à defensiva azul e branca. Nuno Brito, na cobrança de um livre, obrigou Pedro Albergaria a defesa apertada.

Aos 57’, mais uma situação de golo iminente para o FC Vizela. Carlos Fortes surgiu solto no flanco direito e cruzou rasteiro para Correia, mas este não chegou para o desvio por muito pouco.

O sinal mais continuou a pertencer à equipa vizelense, que também procurou o segundo golo através de lances de bola parada. Aos 64’, Gabi pontapeou ao lado.

O Câmara de Lobos voltou a incomodar aos 68’, quando André Malásia, no seguimento de um canto, criou perigo em dois momentos. No primeiro, desviou de cabeça ao primeiro poste para intervenção fantástica de Pedro Albergaria, no segundo, rematou ligeiramente ao lado.

Tardava em aparecer o tento da tranquilidade, porém, não foi por falta de entrega e vontade que o FC Vizela não conseguiu finalizar mais cedo.

Aos 71’, Carlos Fortes fez tudo bem pelo lado esquerdo, podia ter alvejado a baliza, mas não foi egoísta e preferiu jogar para o colega Evrard que rematou contra o corpo de um adversário.

Mais tarde, outra vez de bola parada, Dani levantou o esférico para a área e Aziz antecipou-se bem de cabeça, no entanto, a redondinha saiu ao lado.

Já na reta final do encontro, o Câmara de Lobos deixou os poucos espectadores presentes com a respiração em suspenso. Estavam cumpridos 85’ quando, após cruzamento da direita, Ângelo Henriques cabeceou à trave e, na recarga, Valter Santos rematou ao poste.

Foi então no segundo minuto do tempo de compensação que o FC Vizela sentenciou em definitivo uma partida difícil. Panin, lançado em profundidade, teve a frieza necessária para bater Marco Jesus, fazendo assim o 2-0 que possibilitou a nona vitória consecutiva.

Numa jornada marcada ainda pelas escorregadelas de Merelinense e Pedras Salgadas, o conjunto de Carlos Cunha manteve os 8 pontos de distância relativamente ao Vilaverdense e somou mais um jogo sem sofrer golos (melhor defesa da prova a par do Farense).

Segue-se nova viagem a Trás-os-Montes onde o FC Vizela defrontará o “lanterna-vermelha” da Série A, Minas de Argozelo, no próximo domingo, dia 17 de Dezembro, às 15:00 horas. Este será também o último jogo oficial no corrente ano civil de 2017.

 

FICHA DE JOGO

Local: Estádio do FC Vizela (Vizela)

Árbitro: Hugo Pacheco (AF Porto)

Assistentes: Filipe Ramalho e José Martins

FC VIZELA: Pedro Albergaria; João Pedro (C), Weliton, João Cunha e Gabi; Evrard, André Pinto e Joni (Carlos Fortes, 57’); Diogo Lamelas (Dani, 62’), Correia (Panin, 75’) e Aziz.

Suplentes não utilizados: Rafa, Amian, Márcio Ferrari e Miguel Oliveira.

Treinador: Carlos Cunha

CÂMARA DE LOBOS: Marco Jesus; Cláudio Teixeira, André Malásia, Lino Graça e Marco Nunes; Nuno Brito, Ricardo Fernandes e Valter Santos (C); Ricardo Sousa, Adriano Aveiro (Pedro Silva, 84’) e Inácio Teles (Ângelo Henriques, 75’).

Suplentes não utilizados: André Marques, Duarte Silva, Hugo Freitas e André Silva.

Treinador: Luís Pestana

Golos: João Cunha (29’) e Panin (90+2’).

Cartões Amarelos: Adriano Aveiro (13’), Inácio Teles (25’), Marco Jesus (48’), Correia (48’) e João Pedro (88’).