FC Vizela manteve distância pontual e invencibilidade

FC Vizela manteve distância pontual e invencibilidade

Num desfecho inesperado, o FC Vizela viu interrompida a sua melhor série de resultados de sempre no campeonato (11 triunfos consecutivos), fruto de uma igualdade a uma bola na receção ao Bragança, uma das formações que luta pela permanência.

À semelhança do fim-de-semana anterior, o relvado do Estádio do FC Vizela voltou a sofrer com as chuvas frequentes. Bastante escorregadio, as duas equipas, em especial a vizelense, porque deteve a maior posse sobre o esférico, sentiram dificuldades.

No entanto, as boas ocasiões de golo não faltaram ao jogo. Logo aos 4’, João Paredes acreditou dentro da área e rematou a rasar o poste.

Naturalmente mais empreendedores em função da sua valia, os pupilos de Carlos Cunha davam sinais de quererem resolver as coisas antes do intervalo.

Aos 16’, uma boa jogada, que envolveu novamente João Paredes, levou o perigo junto à baliza defendida por Nélson Gomes, mas a defensiva brigantina evitou o golo.

Mais tarde, aos 23’, Carlos Fortes esteve muito bem a abrir jogo para João Paredes, este conseguiu levar a melhor sobre dois adversários, mas viu o seu disparo tirar tinta ao poste outra vez.

O Bragança, apenas por uma vez, conseguiu levar o esférico à baliza contrária, embora o remate de Fábio Rodrigo nem tenha levado a direção dela, após insistência de Nixon.

Aos 32’, o FC Vizela dispôs da situação mais iminente de golo de toda a primeira parte. Destaque para o trabalho desenvolvido por Carlos Fortes sobre o lado esquerdo, que, praticamente sem ângulo de remate, viu a bola queimar a linha de golo e ser retirada por Serginho in extremis.

Panin ainda tentou a sua sorte aos 37’, num disparo do meio da rua, mas o certo é que o nulo, desadequado para o FC Vizela em função do perigo que criou, viria a persistir até ao intervalo.

Na segunda parte, o Bragança, cuja organização defensiva já havia dado indicações de poder vir a trazer dificuldades acrescidas ao FC Vizela, acabou por ser bafejado pela fortuna.

Muito antes disso, aos 49’, Miguel Oliveira, em plena área, falhou o cabeceamento na sequência de um livre em jeito de canto mais curto.

Entretanto, o treinador Carlos Cunha apostou tudo no ataque, reforçando a sua linha ofensiva com as entradas de Correia, Aziz e Felipe Augusto, que se juntaram a Carlos Fortes.

Ironia do destino, no minuto seguinte a ter esgotado as alterações, o FC Vizela viu o Bragança adiantar-se no marcador por intermédio de Serginho, o mesmo que, na primeira parte, revelou-se decisivo ao evitar um golo cantado à turma da casa. Tudo aconteceu no seguimento de um livre.

Logo a seguir, aos 72’, na ressaca do golo sofrido, Francis Okoli ameaçou na área vizelense, valendo a intervenção atenta de Pedro Albergaria.

A partir daí, foi o tudo por tudo do FC Vizela, que remeteu o adversário completamente à sua defensiva. Na sequência de um canto, Miguel Oliveira cabeceou ao lado (74’), e Aziz, por muito pouco, não intercetou de forma certeira uma excelente assistência de Evrard (76’).

Tanta pressão junto da baliza transmontana haveria de resultar em golo. Foi o que aconteceu aos 84’, através de um belo golpe de cabeça por Correia, após pontapé de canto.

Aziz, por duas ocasiões, ficou perto de estabelecer a cambalhota no marcador. Aos 90’, Nélson Gomes encaixou o desvio de cabeça do ganês e, aos 90+2’, o guarda-redes brigantino ficou pregado ao solo, no entanto, o cabeceamento de Aziz saiu a escassos centímetros do poste.

Em esforço, Correia também tentou dar a melhor correspondência a um canto, mas o resultado ficaria assim com essa inesperada divisão de pontos.

De qualquer forma, a concorrência deu uma ajuda e tudo ficou na mesma no que respeita aos 10 pontos de distância que o FC Vizela detinha sobre Vilaverdense (e agora Fafe também).

O próximo desafio dos azuis e brancos trará certamente novas dificuldades. O adversário é a AD Oliveirense e a partida terá lugar no domingo, dia 21 de Janeiro, às 15:00 horas, no Campo de Ribes.

 

FICHA DE JOGO

Local: Estádio do FC Vizela (Vizela)

Árbitro: Bruno Nunes (AF Viana do Castelo)

Assistentes: Carlos Rodrigues e José Rio

FC VIZELA: Pedro Albergaria; João Pedro (C), Miguel Oliveira, João Cunha e Amian; Evrard, André Pinto (Aziz, 57’) e Joni; Carlos Fortes, João Paredes (Felipe Augusto, 70’) e Panin (Correia, 57’).

Suplentes não utilizados: Rafa, Márcio Ferrari, Gabi e Dani.

Treinador: Carlos Cunha

GD BRAGANÇA: Nélson Gomes; Bosingwa, Agostinho Carvalho, Serginho e Ká; Capelo (C), Coulibaly e Francis Okoli; Moreira (Renato Matos, 77’), Nixon (Miguel Diz, 63’) e Fábio Rodrigo (Nuno Miguel, 88’).

Suplentes não utilizados: Ximena, Gonçalo Pereira, Miguel Lemos e Luís Lisboa.

Treinador: Tony Afonso

Golos: Serginho (71’) e Correia (85’).

Cartões Amarelos: Amian (12’), Capelo (17’), Miguel Oliveira (60’), João Pedro (79’), Ká (80’), Serginho (82’) e Nélson Gomes (90+5’).