FC Vizela empatou a zero no derby com S. Martinho

FC Vizela empatou a zero no derby com S. Martinho

Numa tarde de “domingo gordo” marcada pela chuva, FC Vizela e S. Martinho reencontraram-se para mais uma edição do derby entre vizinhos, no qual a ineficácia ofensiva voltou a revelar-se “calcanhar de Aquiles” dos azuis e brancos.

Tudo terminou como começou, contudo, não se pode dizer que tenham escasseado hipóteses interessantes para que se pudesse registar outro desfecho.

Este resultado penalizou mais a turma de Carlos Cunha, até porque esta dispôs das melhores situações, em particular após o intervalo, porém houve pouca frieza na hora de rematar à baliza.

A primeira parte não foi muito agradável de seguir. O FC Vizela, embora tenha beneficiado de duas boas possibilidades nos instantes iniciais, sentiu problemas na ligação entre setores, em especial, do meio-campo para a frente.

Logo aos 2’, João Pedro cruzou bem para a área e Correia antecipou-se de cabeça ao primeiro poste para Bruno Pinto defender com alguma dificuldade.

Seguiu-se nova situação aos 7’, quando Felipe Augusto procurou cruzar uma bola para Correia, mas, desta vez, quem se antecipou foi o guarda-redes do S. Martinho, Bruno Pinto.

Depois disso, o conjunto de Agostinho Bento conseguiu repartir o desafio com o FC Vizela, através de um eficaz sentido posicional dos seus jogadores, aliado ao perigo representado por jogadores velozes e tecnicistas como Jorge Chula ou Damien Furtado.

Aos 14’, Dani subiu pelo corredor direito e cruzou uma bola para o cabeceamento de Jildemar Ba, protagonizando-se assim o primeiro aviso dos forasteiros.

Dois minutos depois, após livre executado por Tomás Mota, o mesmo Jildemar Ba apareceu de rompante a cabecear o esférico para o fundo das redes, mas o lance seria bem invalidado pelo juiz vila-realense António Moreira, pois o brasileiro estava ligeiramente adiantado.

O FC Vizela voltaria a aproximar-se da baliza campense numa situação de bola parada, aos 31’, mas a defensiva forasteira evitou que Weliton pudesse cabecear para o golo.

Durante o último quarto de hora do primeiro tempo, em função das dificuldades sentidas pelo conjunto vizelense na ligação do jogo, foi o S. Martinho quem esteve à espreita de algo mais.

Igualmente na sequência de lances de bola parada, Jorge Chula surgiu oportuno em plena área a rematar ao lado (33’) e Bianchi cabeceou com muito perigo, também ao lado (42’).

Na etapa complementar, o FC Vizela apresentou-se num registo diferente, em boa parte graças à entrada do “camisola 90” Carlos Fortes.

O atacante dos azuis e brancos, melhor marcador no campeonato, foi protagonista de várias ações de rutura no jogo, beneficiando uma maior predisposição ofensiva da turma de Carlos Cunha.

A primeira situação de perigo proporcionada pelos vizelenses aconteceu logo aos 49’. Amian fez o cruzamento para a área e Correia, sem deixar cair o esférico, à meia volta, quase marcou, não fosse a grande intervenção de Bruno Pinto.

O S. Martinho também não desarmou e teve em Jorge Chula uma boa hipótese, aos 54’, valendo na circunstância o excelente corte de Weliton. De rajada, Rui Cardoso, com um pontapé de fora da área, obrigou Pedro Albergaria a esticar-se para defender junto ao poste.

Logo após tentativa de Evrard para defesa atenta de Bruno Pinto (58’), o treinador Carlos Cunha esgotou as alterações com a entrada simultânea de João Oliveira e Aziz.

Cada vez mais projetado para a frente, o FC Vizela teve a sua grande oportunidade de toda a partida, aos 62’. João Paredes arrancou veloz pela direita e serviu o golo de bandeja a Carlos Fortes, mas este atirou por cima à boca da baliza.

Por sua vez, a formação campense ameaçou novamente por Jildemar Ba, aos 66’, após canto, com Pedro Albergaria muito bem a fazer a mancha.

Carlos Fortes, que bem mexeu com o jogo, manteve-se, porém, distante da felicidade, embora muito tenha tentado para contrariar a tendência.

Isso mesmo viu-se aos 79’, quando desferiu um portentoso remate do meio da rua para defesa muito apertada de Bruno Pinto. Aziz ainda tentou fazer a recarga, mas sem sucesso.

Na reta final do encontro, a ansiedade foi notória. Carlos Fortes travou mais uma vez interessante duelo com Bruno Pinto, após belo passe de André Pinto, mas o guarda-redes campense estava destinado a inviabilizar toda e qualquer tentativa dos azuis e brancos.

Praticamente sobre os 90’, na sequência de uma transição rápida de João Paredes, Aziz viu as suas melhores intenções travadas por Bruno Pinto. Logo a seguir, os papéis inverteram-se com Aziz a servir João Paredes, que ficou muito perto do tento decisivo.

No último dos quatro minutos de compensação concedidos pelo árbitro António Moreira, ficou a ideia de que Carlos Fortes terá sofrido um ligeiro toque na área, mas o juiz de Vila Real apontou para o centro do terreno, finalizando de imediato a partida.

Este foi o segundo empate consecutivo do FC Vizela, que ainda assim conserva a liderança da Série A no Campeonato de Portugal, agora com o Fafe mais perto, a 4 pontos de distância.

Seguem-se duas deslocações fora de portas, a primeira das quais na região transmontana. No próximo domingo, dia 18 de Fevereiro, a equipa vizelense jogará em Pedras Salgadas.

 

FICHA DE JOGO

Local: Estádio do FC Vizela (Vizela)

Árbitro: António Moreira (AF Vila Real)

Assistentes: Sérgio Correia e André Gomes

FC VIZELA: Pedro Albergaria; João Pedro (C), João Cunha, Weliton e Amian; Evrard, André Pinto e Joni (João Oliveira, 59’); João Paredes, Correia (Aziz, 59’) e Felipe Augusto (Carlos Fortes, 45’).

Suplentes não utilizados: Rafa, Zé Valente, Nera e Panin.

Treinador: Carlos Cunha

SÃO MARTINHO: Bruno Pinto; Dani, Manuel Pedro, Bianchi e Tomás Mota; Babo, Diogo Silva (Neves, 80’) e Rui Cardoso (Rúben Gonçalves, 86’); Jorge Chula (Chiquinho, 63’), Jildemar Ba e Damian Furtado.

Suplentes não utilizados: Kevin, Daniel, Bobô e Sam Diallo.

Treinador: Agostinho Bento

Cartões Amarelos: Damian Furtado (29’) e Weliton (51’).