FC Vizela superou Mondinense em condições difíceis

FC Vizela superou Mondinense em condições difíceis

O Inverno não tem dado tréguas nos últimos tempos e esse aspeto tem vindo a influenciar de forma negativa os espetáculos desportivos. Em Mondim de Basto não foi exceção.

Em causa esteve a jornada 24 do Campeonato de Portugal e o FC Vizela sabia que iria encontrar tudo menos facilidades nesta deslocação, apesar da situação classificativa do adversário.

Num recinto de piso sintético, com sinais visíveis de desgaste e bastante encharcado, sobretudo nos corredores, perspetivou-se desde logo um jogo decidido numa ou noutra bola parada.

E talvez porque, a cada jornada que passa, o FC Vizela seja visto como uma espécie de “troféu” pelos adversários (todos querem tornar-se nos primeiros a ganhar à turma de Carlos Cunha), o Mondinense jogou com uma alma tremenda, nunca dando um duelo como perdido.

Os primeiros sinais de intenção no encontro pertenceram aos da casa, em função de dois livres laterais e de um remate de Rui Jorge para defesa atenta de Pedro Albergaria (4’).

Adotando uma postura mais paciente e equilibrada, o FC Vizela respondeu pouco depois, aos 6’, por intermédio de Cann, que rematou enquadrado com a baliza.

Mais tarde, aos 24’, Correia bem tentou marcar aquele que seria um belíssimo golo. O passe foi excelente por parte de André Pinto e o avançado desmarcou-se bem sobre o lado direito.

Sem grandes hipóteses de fazer um jogo mais flanqueado, devido à muita água acumulada nos corredores, o jogo entrou numa fase de maior luta com vários duelos físicos a resultarem em outras tantas situações de bola parada.

Pouco depois da meia hora (32’), Pedro Albergaria defendeu o disparo de Rui Jorge, na cobrança de um livre a meia distância, e aos 35’, foi Rooney a aparecer para o desvio de cabeça, também no seguimento de um livre.

Aos 38’, o FC Vizela dispôs da oportunidade mais clara da primeira parte. Zé Valente levantou o esférico para a área e João Cunha apareceu solto de marcação, dentro da pequena área e ao segundo poste, a rematar à figura do guarda-redes César.

Nesta fase do jogo, mais próxima do intervalo, os vizelenses estiveram por cima, mais organizados e com os olhos postos na baliza contrária.

Exemplo disso foi o lance trabalhado entre André Pinto e Zé Valente, aos 42’, com o segundo a desferir um remate recheado de efeito e intencionalidade, com a bola a sair rente ao poste.

Para a segunda metade, Carlos Cunha teve de lidar com uma inesperada contrariedade, já que o capitão João Pedro lesionou-se no reaquecimento.

Foi tempo de lançar Panin, que esteve envolvido no primeiro lance ofensivo deste período. Logo aos 48’, uma atrapalhação do guarda-redes mondinense quase foi aproveitada pelo ganês.

Aos 54’, o FC Vizela ficou perto de inaugurar o marcador. Um toque de calcanhar de Weliton, após canto marcado na direita por Diogo Lamelas, sofreu um pequeno desvio de um adversário, caso contrário, a bola encaminhar-se-ia para o sítio certo.

Entretanto, já com João Paredes em campo, foi o Mondinense quem testou a atenção de Pedro Albergaria, com o guardião vizelense a arrojar-se ao solo para defender o livre de João Padi.

Aos 65’, Weliton decidiu ao seu melhor estilo. Tal como fez no jogo da primeira volta, o defesa-central brasileiro voltou a faturar contra o Mondinense, desta vez, de cabeça e na sequência de um pontapé de canto. Um golo bastante festejado pelos muitos adeptos vizelenses presentes.

Sem nunca atirar a toalha ao chão, o Mondinense procurou reagir, apelando novamente à sua alma e respondendo ao incentivo dos seus adeptos.

Os remates de Rooney (83’) e João Santos (90’), e um cruzamento tenso para o coração da área (86’), não permitiram uma ponta final de jogo descansada para a defensiva azul e branca, que fez da concentração e coesão os seus grandes trunfos para a conservação da vantagem mínima.

Em condições difíceis, o FC Vizela regressou às vitórias no campeonato, depois do empate caseiro com o Mirandela, e manteve intacto o conforto pontual relativamente à concorrência.

Segue-se o sempre escaldante reencontro com o Fafe, uma partida agendada para as 15:00 horas do próximo domingo, dia 18 de Março, que certamente atrairá muito público às bancadas.

 

FICHA DE JOGO

Local: Estádio Municipal de Mondim de Basto (Mondim de Basto)

Árbitro: António Alves (AF Porto)

Assistentes: Manuel Soares e Vasco Sousa

MONDINENSE: César Lemos; Vítor Beijinhos (Olger Guardo, 77’), Tuca, Raul Babo (C) e Filipe Sousa; Tokinho, Lamine Embalo (Diogo Alves, 85’) e Rui Jorge; João Padi (João Santos, 62’), Rooney e Baba Zakari.

Suplentes não utilizados: Leandro, Vila Chã, Luís Saroto e João Miguel.

Treinador: Francisco Lemos

FC VIZELA: Pedro Albergaria; João Pedro (C) (Panin, 45’), João Cunha, Weliton e Nera; Evrard, André Pinto e Zé Valente (João Oliveira, 77’); Diogo Lamelas, Correia e Cann (João Paredes, 57’).

Suplentes não utilizados: Rafa, Amian, Felipe Augusto e Dani.

Treinador: Carlos Cunha

Golo: Weliton (65’).

Cartões Amarelos: Zé Valente (34’), Evrard (57’) e Correia (89’).