Grande demonstração de qualidade valeu novo apuramento

Grande demonstração de qualidade valeu novo apuramento

A nossa equipa prossegue a sua campanha na Taça de Portugal, depois de uma grande exibição coroada com uma vitória incontestável sobre o Casa Pia, por três bolas a uma.

O conjunto da LigaPro, a jogar na “casa emprestada” de Marvila, reduto do Oriental de Lisboa, não encontrou argumentos para contrariar a qualidade patenteada pelo FC Vizela.

De resto, até o próprio treinador dos “gansos”, Rui Duarte, reconheceu a justiça do triunfo dos azuis da cidade termal, que neutralizaram quase por completo a equipa de patamar superior.

O apito inicial no Estádio Eng. Carlos Salema foi antecedido de um minuto de silêncio em memória do antigo internacional luso Rui Jordão, falecido na passada sexta-feira.

Os primeiros instantes da partida deixaram antever aquilo que foi o jogo. A formação de Álvaro Pacheco entrou muito dinâmica, forte na antecipação e a criar mais perigo que os da casa.

Aos 13’, Kaká deu para Samu e este assistiu Diogo Ribeiro que, com um subtil desvio ao primeiro poste, viu Rafael Marques protagonizar excelente defesa.

O golo chegaria à passagem do minuto 20 com alguma naturalidade e… muita qualidade! A jogada envolveu 9 dos 11 jogadores vizelenses e foi culminada ao 15.º passe com Kiko Bondoso na assistência para a entrada triunfal de Okoli. Boa finalização e muito sentido coletivo.

A resposta do Casa Pia não aconteceu, porque o FC Vizela esteve sempre um passo à frente na abordagem aos vários momentos de jogo, sobretudo na zona intermediária.

Foi precisamente neste sector que os da casa sentiram enormes dificuldades, mérito da grande capacidade de leitura de Ericson e do dinamismo impresso por Samu e Okoli, na génese de muitas intervenções ofensivas de Kiko Bondoso e Mendes, aliadas pela batuta de Diogo Ribeiro.

As melhores oportunidades continuaram a pertencer ao FC Vizela, com Mendes em destaque, pois, aos 37’, o extremo obrigou Rafael Marques à defesa da tarde e, pouco depois, esteve quase a surpreendê-lo com um remate em jeito.

Pelo meio, o Casa Pia criou o seu único momento de perigo na etapa inicial, mas Cajó tapou bem o ângulo ao desvio de Evandro Roncatto.

Para o segundo tempo, ambos os treinadores não procederam a alterações nas equipas e o Casa Pia deu mostras de querer contrariar a desvantagem ao intervalo.

Porém, depressa a equipa vizelense se superiorizou novamente e logo com mais um golo. Aos 51’, Samu, descaído sobre a esquerda finalizou um lance bem trabalhado por Kaká e Ericson. Estava feito o segundo que já era merecido ainda antes do descanso.

O Casa Pia conseguiu incomodar Cajó aos 54’, valendo um grande corte de Aidara, a evitar que Sountoura, na pequena área, pudesse marcar. Na resposta, Mendes, em combinação com Kiko Bondoso, viu Rafael Marques novamente a levar a melhor com brilhante intervenção.

O meio-campo do FC Vizela começava então a dar alguns sinais de desgaste físico, por força do tal dinamismo impresso no primeiro tempo e Álvaro Pacheco refrescou o sector com as entradas de André Soares e Landinho, sendo que Okoli saiu mesmo lesionado.

A nossa equipa recuperou a iniciativa do encontro, viu o juiz Sérgio Guelho, da Guarda, negar-lhe uma grande penalidade sobre Diogo Ribeiro (foi claramente derrubado por Lucas Cunha, aos 75’), mas o atacante que tanto trabalhou lá conseguiu o justo prémio pela sua exibição ao assinar o 3-0. De resto, Diogo Ribeiro já havia ameaçado aos 65’, com um remate a rasar o poste.

Destaque para a impressionante arrancada de Koffi pelo lado direito, com o marfinense a assistir Diogo Ribeiro na perfeição para uma finalização à ponta-de-lança. Faltavam dez minutos para o final da partida, mais a compensação dada pelo árbitro.

Nesse período, uma segunda grande penalidade favorável ao FC Vizela ficou por assinalar, num lance aos 86’, em que André Soares acabou derrubado por Caio Marcelo. No minuto seguinte, o Casa Pia reduziu a diferença através de Wilson Kenidy (87’), um lance em que Cajó não merecia ser batido após duas vistosas defesas aos remates de Mateus Fonseca.

Durante o tempo extra, Diogo Ribeiro chegou a introduzir o esférico na baliza, mas a jogada seria invalidada por alegada posição irregular do avançado do FC Vizela.

Este foi um apuramento alcançado com grande mérito por parte dos vizelenses, que esbateram por completo eventuais diferenças de escalão, conseguindo, assim, igualar a marca atingida em 2017/18 e assegurar um lugar no sorteio agendado para o próximo dia 28.

Vividas e celebradas as emoções da prova rainha do futebol português, a formação de Álvaro Pacheco concentra-se agora no campeonato, tendo já em vista nova deslocação, desta feita, até Chaves, onde irá defrontar a equipa satélite, última classificada da Série A.

 

Ficha Técnica

Resultado: Casa Pia 1-3 FC Vizela

Local: Estádio Eng. Carlos Salema (Marvila – Lisboa)

Árbitro: Sérgio Guelho (AF Guarda)

Assistentes: Gonçalo Freire e Pedro Sousa

Casa Pia: Rafael Marques; Joel Monteiro, Lucas Cunha (João Coito, 75’), Caio Marcelo e David Rosa; Sávio (Wilson Kenidy, 67’), Jean Victor (Rodrigo Dantas, 56’), Mateus Fonseca (C) e Jorge Ribeiro; Sountoura e Evandro Roncatto.

Suplentes não utilizados: Van der Lann, Pedro Machado, Jeka e Tharcysio.

Treinador: Rui Duarte

FC Vizela: Cajó; Koffi, João Faria (C), Aidara e Kaká; Ericson, Okoli (André Soares, 62’) e Samu (Landinho, 72’); Mendes (Cann, 79’), Diogo Ribeiro e Kiko Bondoso.

Suplentes não utilizados: Rafa, Fall, Kiki e João Pedro.

Treinador: Álvaro Pacheco

Golos: Okoli (20’), Samu (51’), Diogo Ribeiro (80’) e Wilson Kenidy (87’).

Cartões Amarelos: Sountoura (27’), Diogo Ribeiro (43’), Lucas Cunha (48’), David Rosa (67’), Evandro Roncatto (84’) e Kiko Bondoso (90’+5’).