Noite histórica que quase teve Taça

Noite histórica que quase teve Taça

Esteve quase a fazer-se Taça em Vizela. Um ambiente de grande fervor clubístico, sobretudo do lado vizelense, embelezou uma grande noite, na qual a nossa equipa deixou uma belíssima imagem diante do campeão nacional em título.

As águias tiveram de suar para virar um resultado que lhe foi desfavorável desde muito cedo. É que a turma de Álvaro Pacheco apelou ao seu ADN e partiu em busca da felicidade.

A entrada em jogo foi forte e destemida o suficiente para deixar o Benfica surpreendido. Logo aos 6’, Samu enquadrou-se com a baliza à entrada da área e atirou a contar. O estádio transformou-se então numa espécie de vulcão com os vizelenses a entoarem cânticos de rejubilo.

O primeiro quarto de hora pertenceu em exclusivo ao FC Vizela. Isso fez muita gente questionar qual o campeonato em que milita, até porque a qualidade apresentada foi digna de 1.ª Liga.

Samu, mais uma vez, e Diogo Ribeiro, estiveram muito perto do 2-0, contudo, a expulsão precoce de Ericson, aos 26’, obrigou a um esforço suplementar.

Dizer que o primeiro dos dois amarelos exibidos por Hélder Malheiro foi inexplicável, tal como o critério disciplinar, aparentemente mais duro para o lado vizelense.

Ainda assim, a solidariedade entre todos foi tal que o Benfica apenas criou algum perigo aos 41’, por André Almeida, e sentiu muitas dificuldades para alimentar o seu atacante Raul de Tomás.

A prestação corajosa dos pupilos de Álvaro Pacheco fez alimentar a ideia de que seria mesmo possível eliminar um dos principais candidatos à conquista da prova rainha.

Com Cann e Kiko Bondoso sempre em busca de algo mais, aliados à batuta de Samu e Diogo Ribeiro, os vizelenses lutaram com todas as forças e estiveram mais de uma hora na frente.

Contudo, esse esforço suplementar, motivado pela inferioridade numérica, acabou por ter um preço e esse foi o primeiro golo do Benfica, apontado por Raul de Tomás, aos 70’.

Bruno Lage alargou a sua frente ofensiva e, numa altura em que as forças começavam a faltar à nossa equipa, Carlos Vinícius, que entrou ao intervalo, estabeleceu a reviravolta, aos 86’.

No final da partida, o FC Vizela foi brindado por uma calorosa ovação por parte da sua ruidosa massa associativa e o resultado ficou relegado para segundo plano numa noite de festa.

Foi a primeira vez que o clube recebeu um grande no seu estádio, que se encontra dotado de excelentes condições. Iluminação, relvado e condições agradáveis para a transmissão televisiva ajudaram a tornar este jogo de Taça de Portugal num momento histórico.

O campeonato regressa já no próximo domingo, dia 01 de Dezembro, com a nossa equipa a jogar no Arquipélago da Madeira pela segunda ocasião esta temporada. Segue-se então o União local, desafio que os vizelenses pretendem superar para, assim, continuar na liderança da prova.

 

Ficha Técnica

Resultado: FC Vizela 1-2 Benfica

Local: Estádio do FC Vizela (Vizela)

Árbitro: Hélder Malheiro (AF Lisboa)

Assistentes: Bruno Jesus e Rui Cidade

4.º Árbitro: João Malheiro Pinto

FC Vizela: Cajó; João Pedro (C), Matheus, Aidara e Kiki; Ericson, Zag (André Soares, 81’) e Samu (Landinho, 74’); Cann, Diogo Ribeiro (Fall, 67’) e Kiko Bondoso.

Suplentes não utilizados: Rafa, Kaká, Mendes e João Faria.

Treinador: Álvaro Pacheco

Benfica: Ivan Zlobin; André Almeida, Ferro, Jardel (C) e Grimaldo; Samaris (Carlos Vinícius, 45’), Pizzi, Gabriel (Caio Lucas, 66’) e Jota; Chiquinho e Raul de Tomás.

Suplentes não utilizados: Vlachodimos, Conti, Cervi, Gedson e Tomás Tavares.

Treinador: Bruno Lage

Golos: Samu (6’), Raul de Tomás (70’) e Carlos Vinícius (86’).

Cartões Amarelos: Zag (8’), Ericson (21’ e 26’), Grimaldo (22’), Gabriel (33’), Pizzi (45’) e João Pedro (54’).

Cartão Vermelho: Ericson (26’).

 

Crédito da foto: Miguel Pereira