Sortes distintas…

Sortes distintas…

No regresso do campeonato, agora denominado de Liga Portugal 2 Sabseg, a nossa equipa não foi feliz e não conseguiu trazer pontos desta sua segunda deslocação ao sul do país.

Em Mafra, o conjunto orientado por Álvaro Pacheco foi globalmente superior, teve mais tempo a bola em seu poder, criou situações suficientes para marcar, enviou uma bola aos ferros, introduziu por duas vezes o esférico na baliza contrária, mas… dois tentos sofridos a frio e uma atuação condicionadora por parte do trio de arbitragem constituíram problemas.

Apostados em jogar olhos nos olhos com o líder da prova, cedo os vizelenses sofreram um revés na sua estratégia, com o golo marcado por Gui Ferreira, aos 5’, na cobrança de um livre direto.

Nada que tenha, no entanto, beliscado a postura do FC Vizela, que não se destabilizou com o golo sofrido e partiu para uma reação enérgica.

Quase concluído o quarto de hora inicial, Samu enquadrou-se frontalmente com a baliza e viu o guarda-redes João Godinho negar-lhe as pretensões do seu belíssimo remate.

Em seguida, a partir de um canto, Matheus surgiu para um primeiro cabeceamento e Marcos Paulo, por muito pouco, não conseguiu tocar o esférico para um desvio certeiro.

Mais tarde, aos 28’, na sequência de um bom envolvimento do ataque vizelense, Cann endossou a bola para o remate de Zag e o capitão viu João Godinho e o poste negarem-lhe o empate.

Aos 35’, o FC Vizela acabou por marcar mesmo, contudo, o auxiliar de João Malheiro Pinto terá vislumbrado um ligeiro adiantamento posicional de Aidara, no complemento a um livre de Samu, uma situação que as imagens televisivas não esclarecem.

Ao intervalo, o resultado era penalizador para a equipa que mais procurou a felicidade, mas a etapa complementar acabaria por ser uma réplica fiel da primeira.

Já com Kiko Bondoso em campo, no sentido de fortalecer ligações ofensivas, o cenário ficou ainda mais complicado com o segundo golo precoce do Mafra, logo aos 50’.

Mais uma vez, apesar da boa entrada dos vizelenses, a equipa da casa chegou ao 2-0 através de uma jogada de envolvência entre Abel Camará e Gui Ferreira. Este último, na tentativa de cruzar uma bola tensa, foi feliz, pois a bola tabelou em Matheus e no poste antes de entrar.

O resultado era adverso, porém, os azuis nunca deixaram de se mostrar inconformados e partiram novamente à luta, reforçando a sua presença junto da área mafrense com Tavinho e Oti, tendo este realizado a sua estreia oficial com a nossa camisola.

Aos 54’, João Malheiro Pinto não viu uma grande penalidade evidente de João Cunha sobre Kiko Bondoso, em mais uma penetração dos vizelenses na área do adversário.

Apesar da razão para os protestos, o encontro prosseguiu, o Mafra espreitou novo golo por Rodrigo Martins, mas seriam novamente os vizelenses a dispor das melhores ocasiões, como a de Tavinho, aos 63’, após cruzamento de Koffi. O cabeceamento saiu ligeiramente ao lado.

Aos 78’, mais um momento muito controverso no desafio: cruzamento de Ofori na esquerda e finalização vitoriosa de Cassiano ao segundo poste. Contudo, numa jogada completamente legal, o golo acabou invalidado e a razão só o juiz da partida poderá explicar.

Fruto destas incidências, a sexta jornada da Liga Portugal 2 Sabseg acabou por ser amarga para o FC Vizela, que, na análise de Álvaro Pacheco, merecia melhor sorte: «Entrámos agressivos e dominantes. Na primeira oportunidade, o Mafra fez golo. Estamos tristes por não termos conseguido aquilo que nós queríamos, que eram os três pontos, mas tenho de estar orgulhoso pela postura dos meus jogadores que, do primeiro ao último minuto, acreditaram», referiu.

«O golo anulado ao Cassiano foi o momento do jogo. Sentimos que íamos discutir o jogo até ao fim. A história seria outra. O Mafra, nas alturas certas, teve a estrelinha. Agora é seguir em frente, dar os parabéns ao Mafra e focar-nos no próximo desafio», acrescentou Álvaro Pacheco.

O próximo encontro terá um significado diferente, já que acontecerá a estreia do FC Vizela neste campeonato no seu estádio, que tem vindo a sofrer profundas obras de requalificação.

A Académica será o adversário neste regresso tão desejado a casa para uma partida que terá honras de transmissão televisiva por parte da Sport TV 3. O jogo está agendado para as 11:00 horas do próximo sábado, dia 24 de outubro.

 

Ficha Técnica

CD Mafra 2- 0 FC Vizela

Local: Estádio Municipal de Mafra

Árbitro: João Malheiro Pinto (AF Lisboa)

Assistentes: Daniel Santos e Vanessa Gomes

4º Árbitro: André Pereira (AF Setúbal)

CD Mafra: João Godinho (C); Tomás Domingos, João Cunha, João Miguel e Gui Ferreira; Cuca, Ismael e Carlos Daniel (João Graça, 82’); Rodrigo Martins (Andrezinho, 60’), Gustavo Moura (Nuno Campos, 67’) e Abel Camará.

Suplentes: Carlos Henriques, Bruno Silva, Barbosa, Lee e Wenderson.

Treinador: Filipe Cândido

FC Vizela: Ivo Gonçalves; Koffi, Matheus, Aidara e Kiki (Ofori, 72’); Zag (C) (Oti, 53’), Marcos Paulo e Samu (André Soares (80’); Cardozo (Kiko Bondoso, 45’), Cassiano e Cann (Tavinho, 53’).

Suplentes: Pedro Silva, Marcelo, Ericson e Diogo Ribeiro.

Treinador: Álvaro Pacheco

Golos: Gui Ferreira (5’ e 50’).

Cartões Amarelos: Zag (18’), Ismael (25’), Cassiano (31’), Aidara (33’), Carlos Daniel (40’), Tomás Domingos (61’) e Koffi (72’).

Cartões Vermelhos: Pedro Albergaria (45’) e Álvaro Pacheco (82’).