A um centímetro da vitória

A um centímetro da vitória

Faltou um centímetro, um centímetro apenas. Um centímetro foi a distância utilizada para anular um golo a Zohi aos 84 minutos, quando FC Vizela vencia por 2-1 e tentava matar o jogo. Não foi assim e aproveitou o Gil Vicente FC, aos 90’, para empatar com bis de Fran Navarro e tirar justiça ao marcador.

Num tremendo espetáculo de futebol (40 remates) e com duas equipas quase sempre mais viradas para o ataque do que para a defesa, o FC Vizela foi melhor a partir dos 10 minutos, altura em que estabilizou o seu jogo e começou a criar ocasiões de golo, várias muito claras, em situações de 1×0 até em algumas delas. Com a equipa a crescer, Kiko Bondoso foi travado em falta dentro da área e Marcos Paulo, de penálti, deu a vantagem inicial. Estavam volvidos 24 minutos, mas os que se seguiram foram melhores do que os primeiros, Schettine e Nuno Moreira desperdiçaram lances claros de golo, Koffi tentou de longe e, lá no ar, Ivanildo e Bruno Wilson eram sempre perigosos. O 2-0 ficou muito próximo e justificava-se nessa altura. Da parte dos gilistas, um remate ao poste foi também suficientemente assustador. Mas pouco mais…

Após o intervalo, o Gil Vicente FC melhorou bastante, cresceu no jogo e passou a assustar também o nosso guarda-redes, Charles. O jogo entrou num período dividido, com o FC Vizela a tentar aproveitar o contra-ataque para fazer o 2-0. Antes de o conseguir, numa bela jogada coletiva, Fran Navarro empatou após cruzamento de Zé Carlos. E o jogo ficou vivo, vivo demais e com lances empolgantes numa e noutra baliza.

A nossa equipa foi, dessa feita, mais feliz e Marcos Paulo fez, de cabeça, o 2-1 após cruzamento de Kiki. E novamente o Gil Vicente FC se lançou na busca pelo empate. Nessa fase, já Zohi era o ponta-de-lança e também Cann havia entrado. Novamente em contra-ataque, o tal momento do jogo e o golo anulado por fora-de-jogo de um centímetro. O quarto golo anulado da época. Depois de 14 e 12 centímetros em Guimarães, agora foi um centímetro que nos roubou dois pontos.

Ainda assim, a nossa equipa não desistiu e foi buscar força onde já não as tinha. O período de descontos é todo nosso e Tomás Silva quase vestiu a pele de herói, mas Brian, o guarda-redes do adversário, é que ficou com essa pele.

Antes das despedidas, um elogio enorme para os adeptos vizelenses. Foram quase 500 numa mancha azul que deu cor ao jogo. E foram quase sempre eles que se ouviram. A nossa equipa deve-lhes um enorme agradecimento. Foi bom sentirmo-nos em casa. Estes são os adeptos do FC Vizela! Obrigado!

 

FICHA TÉCNICA

Gil Vicente FC 2-2 FC Vizela

Local: Estádio Cidade de Barcelos (Barcelos)

Árbitro: Fábio Veríssimo (AF Leiria)

Assistentes: Pedro Martins e Ricardo Santos

4º Árbitro: Flávio Lima (AF Lisboa)

Gil Vicente FC: Brian; Hackman, Lucas Cunha, Diogo (Zé Carlos, 46’) e Henrique Gomes (C) (Talocha, 46’); Vítor Carvalho (Boubacar, 80’), Fujimoto (Elder Santana, 80’) e Pedrinho; Bilel (Aburjania, 71’), Fran Navarro e Samuel Lino.

Suplentes não utilizados: Andrew, Jean Irmer, Marcelo e Matheus Bueno.

Treinador: Ricardo Soares

FC Vizela: Charles; Koffi, Bruno Wilson, Ivanildo Fernandes e Kiki; Claudemir, Marcos Paulo (C) (Raphael Guzzo, 90’+2’) e Samu; Nuno Moreira (Cann, 76’), Schettine (Zohi, 56’) e Kiko Bondoso (Tomás Silva, 90’+2’).

Suplentes não utilizados: Ivo Gonçalves, Marcelo, Igor Julião, Alex Méndez e Richard Ofori.

Treinador: Álvaro Pacheco

Golos: Marcos Paulo (24’, g. p. e 73’) e Fran Navarro (61’ e 90’).

Cartões Amarelos: Schettine (21’), Koffi (28’), Hackman (35’), Zé Carlos (55’) e Nuno Moreira (69’).